Se Jesus é o mais Belo dos filhos dos homens, então é belo pertencer a Jesus, ser só d’Ele através da oferta da minha vida como consagrada, como Irmã Discípula do Divino Mestre. É Deus que me torna bela! É Deus que nos torna belos! Pois é um dom gratuito de Deus e não conquista nossa. É Deus que nos torna belos na medida em que crescemos na fé, em que nos deixamos moldar por Ele, em que procuramos a sua vontade, em que respondemos e correspondemos ao Seu chamamento. E todos somos chamados. Deus chamou-nos à vida, dom precioso, um grande presente de Deus que nos desafia a dar sentido à nossa vida. Depois, Deus chamou-nos à vida cristã. No Baptismo tornámo-nos filhos e filhas muito amados, passámos a ter o nome de Cristo, cristãos, e fomos inseridos numa grande família, a Igreja. No dia do nosso Baptismo fomos marcados com o selo de Cristo e desafiados a caminhar dia após dia como discípulos e discípulas do Mestre Divino, ou seja, desafiados a alimentar a nossa relação com Jesus na oração, na escuta da Palavra de Deus, na participação da Eucaristia e no sacramento da Reconciliação,… Mas, Deus no seu imenso amor por cada um de nós, continua a chamar e chama-nos a assumir um projecto de vida, um estilo de vida específico dentro da Igreja, a que chamamos vocação. A mim, por exemplo, chamou-me a ser Irmã Discípula do Divino Mestre. Foi no encontro com Jesus que descobri e experimentei o seu amor por mim, que escutei a sua voz que me dizia para O seguir e ser só d’Ele, colocando a minha vida ao Seu serviço e ao serviço dos irmãos. Eu, como todos os Consagrados, fizemos voto de castidade, pobreza e obediência, e vivemos em comunidade. Ou seja, Com o voto de castidade queremos testemunhar o primado do amor de Deus na nossa vida, que Deus é o tudo da nossa vida. Com o voto de pobreza queremos dizer que Jesus é o nosso tesouro, a nossa pérola preciosa, que o nosso coração está centrado em Jesus. Com o voto de obediência queremos testemunhar que é possível viver e ser feliz escutando e pondo em prática a vontade do Pai, tal como fez Jesus. Com a vida em comunidade queremos dizer a beleza do vivermos juntas porque Deus nos chamou e chama a segui-Lo e a anunciá-Lo no hoje da nossa história.

Porque Jesus viveu casto, pobre e obediente eu também quero viver casta, pobre e obediente. Ser Discípula do Divino Mestre é isto mesmo, seguir Jesus no dia a dia e viver como Ele viveu. Para mim é belo ser consagrada a Deus, pois esta é a minha vocação e é aqui que sou realmente feliz.

A ti que estás a ler este texto, digo-te que só descobrindo a tua vocação poderás ser feliz. Aceita o desafio de dar sentido pleno à tua vida, faz coisas belas, mas sobretudo torna a tua vida lugar de beleza (Cf. Papa Bento XVI, Lisboa 2010).

Irmã Maria Sónia Tereso, pddm