Neste V Domingo de Páscoa somos desafiados pela Igreja, somos chamados! Na primeira leitura deparamo-nos com uma necessidade: as viúvas não tinham ninguém para as ajudar. A Igreja vê na fraqueza delas uma missão, a missão do próprio Jesus. Quem são as viúvas que precisam de ajuda? E quem é a Igreja chamada a ajudá-las?

A viúva, talvez mais naquele tempo do que agora, era uma das figuras mais frágeis, mais carentes, enfim, mais desprotegidas. E a Igreja é cada um de nós que é chamado a olhar para o colega que está mais em baixo, ou para a vizinha que anda triste ou um familiar que tem dificuldades. Mas será que são todos chamados a ajudar da mesma maneira? A verdade é que existem muitos tipos de necessidades e na Igreja somos todos diferentes, temos todos carismas diferentes! Como vemos na primeira leitura, os apóstolos convidam uma assembleia de discípulos a escolher sete homens para servir às mesas; os apóstolos, porém, vão-se dedicar à oração e à palavra, porque foram escolhidos especificamente para isso. É este o carisma deles, não porque se propuseram mas porque o próprio Jesus os chamou. Porém, tantos os discípulos como os apóstolos estão a dar a vida toda pelo serviço do Reino, uns de uma maneira e outros doutra, mas todos em Cristo por meio da Igreja. Abriram-se à vontade de Deus sem saberem ao certo o que os esperava!

Na segunda leitura, S. Pedro diz-nos que somos as pedras vivas do Templo do Senhor! Não do nosso próprio “templo”, para nossa própria glória, mas porque somos parte da Igreja, aquilo que fazemos é para o Bem de todos! Tens sido uma pedra viva do Templo do Senhor? Tens trabalhado para a construção deste templo? Quem é a tua pedra angular? És tu próprio com os teus projectos ou é Jesus Cristo?

No evangelho, Jesus diz-nos que quem acredita nele fará obras tão grandes ou ainda “maiores” do que as dele! E acreditar nele significa estar na Igreja, como víamos na segunda leitura, e é na Igreja que somos agraciados com estas obras “maiores”! E que grandes são estas obras quando Ele é a pedra angular! Mas lembra-te que a casa do Pai “tem muitas moradas”! Ao longo desta semana, procura meditar qual é a tua morada, isto é, qual é o teu lugar na Igreja e no mundo!

Domingo V da Páscoa

You have Successfully Subscribed!